Uma visão espiritual do Covid-19: quais benefícios a Aromaterapia pode trazer? (parte I)

Às vezes

Quando nos deixamos enredar na teia de nossos hábitos, rotinas, condicionamentos, tédio, ansiedade e estresse, como se estivéssemos dormindo ao longo da existência…

Algo aparece repentinamente, do “nada”, e nos puxa a orelha, fazendo-nos pular de pânico, cortando o fluxo normal das coisas de uma maneira totalmente imprevisível.

É o que está acontecendo com a crise do COVID-19. Às vezes, precisamos de um alerta no meio da noite. Às vezes, é preciso que este alerta seja eletrizante o suficiente para nos jogar fora da cama sob o chuveiro frio, onde – estremecendo e em choque- não podemos deixar de nos perguntar sobre algo mais profundo – algo sobre o significado de nossa existência na terra.

A situação que ora atravessamos acontece em um período peculiar, onde já vivenciávamos mudanças agitadas, aumento de “excitações de ondas na superfície” e falta de orientações norteadoras. A crise do COVID-19 é um chamado real, e ele vem do universo! Uma das conseqüências de nossos “caminhos modernos” é a alienação da natureza. A crescente atração pelo estilo de vida metropolitano, com seus surtos de estresse, isola a alma de seu potencial inato, e geneticamente ancorado, de se harmonizar à Natureza – é esta harmonia o que nos conecta aos valores espirituais essenciais à vida humana. A vida que vale a pena ser vivida é aquela que se doa por estes valores e, por isto, encontra auto-estima, silêncio interior, integração, aceitação e paz.

Sob esta ótica, a atual crise de nossa sociedade pode ser entendida como uma espécie de “burn-out” coletivo. É o resultado de um desequilíbrio entre as direções “interna” e “externa” da vida, pelo qual o impulso e o “sumo” de nossa condição humana são perdidos na neblina da matrix e seus jogos sociais. A negligência de nossa interioridade e a busca desenfreada por divertimento e fuga nos abisma na ignorância dos verdadeiros valores: os guias de nossa existência na terra. Na verdade, entendida corretamente, a humanidade como um todo está passando por um momento muito metafísico (meta = além + físico) em sua história. Cada um de nós está sendo convocado a investigar por si, a fazer novas perguntas.

Mas de onde poderemos obter as respostas? Numa visão holística, GAIA (nossa mãe Terra) é um organismo vivo, inteligente e auto-regulador. O solo, a atmosfera, os oceanos, as plantas, os animais e os seres humanos estão interligados e formam os “órgãos” deste ser, cuja manifestação global é uma deusa: GAIA. Quando pessoas ou animais adoecem, quando seus cérebros emitem energias caóticas e seu comportamento se torna destrutivo, GAIA lhes envia plantas medicinais específicas – necessárias para restaurar a harmonia. As plantas devem desempenhar seu papel específico no ciclo de troca de energias entre todos os seres vivos. Dessa maneira, GAIA mantém a homeostase universal. “Talvez”, podemos pensar, “a crise atual seja um “medicamento GAIA” – difícil…mas evolutivo?” 

Os pensamentos a seguir servem como um convite para entendermos melhor o que a Natureza pode nos oferecer em termos de medicamentos – de efeitos reais e testados através dos séculos.

 

 

Eles (de fato) ajudam …

As plantas medicinais e seus Óleos Essenciais podem nos ajudar em problemas pontuais, bem como equilibrar-nos diante dos desafios colocados pelo aparente caos de nossa situação atual. Desde o início dos tempos, o homem sempre tentou entrar em contato com as energias mais sutis que governam a vida das plantas – seja através de inúmeras técnicas (como êxtases xamânicos, rituais diversos, meditação) ou simplesmente conversando com as plantas, transmitindo sentimentos como gratidão, admirando-as, adorando-as, cantando para elas, tocando música para elas… Existe uma parceria antiquíssima entre as Plantas e o Homem – e é belo perceber que nossa circunstância atual nos convida à uma redescoberta desta parceria. E as plantas estão nos ajudando …

A compreensão dos níveis mais sutis e, portanto, mais poderosos da vida no universo é a chave para o homem “decodificar” as muitas linguagens secretas das plantas.

Isso dará ao ser humano- talvez pela primeira vez na história do planeta Terra- a possibilidade de estabelecer um novo tipo de “fusão através do conhecimento”. Uma imersão no reino vegetal e, através disto, um alcance mais próximo da Inteligência Cósmica, que governa todas as forças vitais (na planta e no homem, simultaneamente). Também está surgindo uma compreensão mais sistemática do funcionamento sutil da bioquímica das plantas e particularmente de suas moléculas aromáticas. Isso nos fará ganhar ferramentas cada vez mais poderosas para aplicações em áreas como medicina energética, cura quântica, auto-cura psicoespiritual, etc.

Os Óleos Essenciais são muito úteis durante períodos de estresse. Seus ricos perfis perfumados revelam poderosas propriedades curativas e apaziguam aqueles que sofrem de níveis variados de ansiedade, insônia ou burn-out. Eles aumentam a auto-estima, a confiança, a esperança e nos dão força mental – trabalhando eficientemente, por exemplo, contra a depressão. A ciência mostra que os Óleos Essenciais despertam uma ressonância de frequência mais alta em nosso sistema energético e invocam pensamentos positivos, espiritualidade e sentimentos de alegria e felicidade.

Os Óleos Essenciais, com suas sinergias polimoleculares 100 % naturais, podem desencadear muitos efeitos benéficos. Eles podem ser anti-inflamatórios, mucolíticos, antivirais, antibacterianos, antifúngicos, regeneradores dos tecidos epiteliais, anticancerígenos etc. Atualmente, existem mais de 12.000 estudos independentes sobre Óleos Essenciais como agentes terapêuticos. Vale a pena olhar para aqueles que têm a ver com a nossa situação atual…

Aqui vai um exemplo – “Óleos essenciais de proteção atenuam a infecção pelo vírus influenza”, um artigo publicado pela BMC Complementary Alternative Medicine em 15 de novembro de 2010 (disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21078173):

 

“A falta de toxicidade e a potente atividade de inibição viral específica sugerem que os óleos essenciais podem ser úteis como um possível medicamento antiviral para o controle e tratamento da infecção pelo vírus influenza. Eles poderiam ser usados ​​como uma maneira não-tóxica de limpar superfícies ou serem dispersos via aerossol para eliminar partículas de vírus em áreas confinadas. 

Mostramos que o vírus tratado com óleos essenciais diminuiu significativamente o número de partículas virais liberadas do MDCK infectado (células do rim canino Madin-Darby – um modelo de linhagem de mamíferos usada em pesquisas biomédicas)…

Tomados em conjunto, encontramos uma mistura de óleos essenciais que atenua notavelmente a infecção pelo vírus da influenza PR8 in vitro através da inibição da síntese de proteínas virais no nível pós-transcrição. A falta de toxicidade e a potente capacidade de inibição específica tornam os óleos essenciais possíveis medicamento s antivirais para o controle e tratamento da proliferação do vírus influenza”.

 

Desta vez, precisamos respirar e inalar…

 A pandemia do Covid-19 aponta “com um dedo bem grande” para o uso potencial de Óleos Essenciais para prevenção e proteção [sim, e até mesmo para curar, caso alguém estiver infectado pelo vírus]. Lembre-se: duas das inúmeras aplicações práticas dos Óleos Essenciais são:

Olfação: Da cavidade nasal vai diretamente ao cérebro;

Inalação: Dos pulmões espalha-se à corrente sanguínea;

Apesar de simples, ambas abordagens dão acesso direto ao nosso corpo, chegando rapidamente aos brônquios e ao cérebro, influenciando nossos sistemas nervoso e cardiovascular. A  inalação dos Óleos essenciais é um método seguro e confiável – geralmente melhor do que a ingestão oral. E é uma maneira muito reconfortante de lidar tanto com a ansiedade, acalmando nossos nervos, quanto com o medo e a depressão, dando-nos o punch necessário de energia.

Não podemos esquecer: inalar um Óleo Essencial é inalar energia – energias do Sol e da Terra trazidas para nós através dos elementos do ar e do espaço. A olfação aromática é capaz de aprimorar nossa vibração cerebral, revitalizando nosso sistema nervoso central. Dentro do cérebro está todo o potencial de energia e cura de nosso organismo. Experiências olfativas ou “olfato-terapia” com Óleos Essenciais mostraram inúmeras vezes que podemos reprogramar nosso pensamento e sentimento, natural e espontaneamente. O olfato é o primeiro de nossos cinco sentidos a aparecer em nossa “existência embrionária”. Cheirar é a “linguagem” mais antiga no reino da vida.

Aromaterapia, neste contexto, não só nos expõe à experiência olfativa refinada que é o aroma de um Óleo Essencial, mas também nos convida à uma espécie de “redefinição ambiental”. Em grande parte, é pelo olfato (pelo nariz e pelos pulmões) que inalamos continuamente nosso ambiente – e mudamos nossos humores, atitudes e sentimentos. E é por isso que, na Aromaterapia, podemos falar de uma “farmacologia energética” (Jim Oschman). Em termos de olfação, não é errado dizer: por mais que “nos tornemos o que pensamos”, também “nos tornamos o que cheiramos”.

Podemos entender que os Óleos Essenciais funcionam como filtros energizantes que nos protegem e também harmonizam as impressões que recebemos, mantendo-nos em um estado mais positivo em termos de corpo, mente e alma. Em meio aos nossos problemas atuais, que afetam particularmente os órgãos respiratórios (ou seja, uma crise real do elemento do ar e espaço (akasha)), a Aromaterapia pode e deve ser a resposta número 1 quando pensamos na criação de um ambiente protetor para o  nosso organismo. Não é óbvio que deveríamos focar nos elementos que melhor limpam nossa atmosfera, ou seja, as micro e multifacetadas moléculas voláteis de nossas plantas medicinais? E mais: elas não apenas limpam, mas também criam um “escudo protetor” para nossa psicologia – porque carregam consigo princípios energéticos que ressoam em nosso campo emocional…

Observe abaixo de que modo a inalação do aroma de flores cítricas altera o campo áurico de uma pessoa:

 

 

Os Óleos Essenciais estão além dos medicamentos padronizados

Nosso sistema imunológico aprendeu certas estratégias ao longo do tempo, em grande parte devido a uma espécie de situação “desafio/resposta”. Isto significa: quanto mais exposto a problemas, maior a flexibilidade e as estratégias de defesa.

Muitas vezes (como quando tomamos antibióticos), a ajuda de agentes externos possibilita que nosso sistema imunológico exiba reações mais robustas e previsíveis em situações de doença. Infelizmente, esses métodos geralmente são eficazes apenas por um certo período de tempo, uma vez que o “inimigo” aprende a ignorar os “ataques unilaterais” que compõe, por exemplo, a estrutura química dos antibióticos. O teste do tempo faz com que muitas patologias acabem por vencer os “poderosos” antibióticos.  

Um número crescente de infecções começou a ser mais difícil de tratar, pois os antibióticos de sempre passaram a ser ineficazes (por motivo da “resistência” desenvolvida por agentes patógenos). Um dos problemas de nossa abordagem médica alopática é que ela se baseia em um medicamento puramente químico, materialista e, na maioria dos casos, “monomolecular”. Deixa de fora o nível “quântico” da cura real:

 

“A medicina alopática convencional enfatiza apenas que a matéria está afetando a matéria e, portanto, seu foco está nas drogas. A mecânica quântica ainda não foi adotada pela medicina alopática por uma simples razão: as atividades comerciais da indústria farmacêutica não querem ter cura energética, porque não tem valor comercial para elas.”

– Bruce Lipton

 

Aromaterapia é, antes de tudo, medicina energética. As plantas absorveram poderosos raios cósmicos e nos deram essa energia para revitalizar a vida na forma de alimentos, ervas e… Óleos Essenciais! Ou seja, na forma de um “remédio vital”, capaz de ressoar nas estruturas biológicas e espirituais que permeiam todos os seres através de um rede oculta de conexões de “inteligência do além” (Prana).

Os Óleos Essenciais podem e devem ser o elemento principal de um “plano de ação global”. E esse plano de ação deve ser holístico, integrando todos os níveis do ser humano e também  seu ambiente, em total aliança e entrega à Mãe Natureza. Temos que renunciar à nossa arrogância: definitivamente, a Natureza sabe mais! Por que estamos tão hesitantes com os medicamentos naturais, mesmo na pandemia de Covid-19? A plantas aromáticas desenvolveram, ao longo de milhões de anos, suas próprias estratégias contra inúmeros germes, fungos e parasitas. Sem essas estratégias, a evolução, mesmo a vida na Terra como um todo, não teria sido possível.

 

Autor: Dr. Malte Hozzel

(artigo original: https://carrieroflight.blog/2020/06/09/aromatic-reflections-for-moments-of-crisis-part-1/). 

Tradução e Adaptação: Yuri Oberlaender

Alguma dúvida a respeito de Aromaterapia e Óleos Essenciais? Fique a vontade para fazer sua pergunta abaixo, nos comentários, ou entre em contato em nosso email: editorial@oshadhi.com.br. Quando respondermos ao seu comentário, você receberá um aviso em seu email (lembre-se de conferir sua lixeira e spam). 

6 thoughts on “Uma visão espiritual do Covid-19: quais benefícios a Aromaterapia pode trazer? (parte I)

    • Editorial Oshadhi says:

      Bom dia, Fatima! Tudo bem?

      Ainda não importamos o óleo de Verbena (Lippia citriodora),
      mas sabemos que é um óleo maravilhoso. Ele é extraído das folhas desta planta,
      e é um óleo rico em aldeídos terpênicos: geranial e neral.

      Do ponto de vista terapêutico, ele é um anti-inflamatório potente, é calmante, tranquilizante
      e sedativo. Além disto, possui ação para quadros de angústia, estresse, insônias e depressões.

      Veja o que o Dr. Dominique Baudoux (conhecido aromaterapeuta francês) fala a respeito deste óleo:

      “O cheiro e o sabor da verbena-limão permitiram-lhe conquistar rapidamente a América do Norte e atravessar
      oceanos para invadir os salões de chá de antigamente. Seu óleo essencial traz felicidade a um momento de
      partilha que queiramos fazer perdurar, estimula o otimismo, a crença no futuro, a esperança. Nenhuma dúvida
      de que encontrará seu lugar em olfatoterapia para combater a morosidade, a melancolia, a tristeza e as depressões
      nervosas”.

      Como ainda não possuímos este óleo em nossa linha de produtos, recomendo que procure-o na linha da Lazlo.
      Um marca que também é confiável e parceira nossa.

      Um abração!

  1. Dulcemary Uchôa says:

    estou encantada com o conteúdo do site de vocês. Sempre fui apaixonada por aromas e tratamentos naturais, Fui criada assim. Até os seis anos de idade nunca tomei nenhum remédio alopático. Estou voltando as origens e retomei o estudo e uso da aromaterapia. Parabéns e muito obrigada.

    • Editorial Oshadhi says:

      Bom dia, Dulcemary!

      Que alegria receber seu feedback, muito obrigado. Isto acontece mesmo, já ouvi alguns relatos de pessoas
      que encontram na Aromaterapia um resgate de coisas antigas, muitas vezes da infância.

      Seja bem-vinda e conte conosco naquilo que pudermos auxiliar.

      Um abração!

    • Editorial Oshadhi says:

      Boa tarde, Mirian! Tudo bem?

      Somos gratos por seu feedback! Continue nos acompanhando, todo mês temos novos conteúdos.

      Um abração!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *